Bill Gates vê contaminação por ômicron mais eficaz que vacina

Bill Gates, copresidente da Fundação Bill & Melinda Gates, lamentou que foram precisos 2 anos para se criar uma vacina contra a covid-19. O criador da Microsoft disse que a variante ômicron é mais eficaz que os imunizantes em “atingir toda a população”. O bilionário participou na 6ª feira (18) de um painel promovido pela emissora norte-americana CNBC na Conferência de Segurança de Munique, na Alemanha. Estava acompanhado de Melanie Joly (ministra de Relações Exteriores do Canadá), Annel Linde (ministra de Relações Exteriores da Suécia) e Comfort Ero (CEO do International Crisis Group).

Gates há anos se dedica ao tema. Em 2015, participou de evento em que afirmou que o mundo viveria uma pandemia causada por um vírus desconhecido. Em Munique, o bilionário falou que a variante ômicron desenvolveu imunidade à ação das células B e T –partes do sistema imunológico responsáveis pelo combate à doença. A cepa, segundo ele, “teve um resultado melhor em atingir a população mundial do que as vacinas”.

Gates lamentou que tenha sido necessário esperar 2 anos para que ter doses de vacina contra a covid-19 em quantidade “maior do que a demanda”. Ainda, que existam poucos medicamentos eficazes no tratamento da doença. “Na próxima vez, devemos tentar desenvolver [uma vacina] em 6 meses”, falou. Gates afirmou que as tecnologias existentes, como a de RNA mensageiro (usada nas vacinas anticovid da Pfizer e Moderna), permitem o rápido desenvolvimento de imunizantes.

O bilionário disse estar certo que o mundo enfrentará outras pandemias causadas por novos patogênios. Falou ainda que haverá novas ondas da covid-19, mas prevê que serão mais semelhantes às da gripe. “Nós não temos ferramentas para erradicar esse vírus”, falou. Gates declarou  acreditar que, em uma década, seja possível existir uma vacina que acabe com o vírus. “Mas isso é uma aspiração e não uma garantia”, disse.

Em outro momento do painel, Gates disse ser “muito tarde” para que o mundo atinja a meta de ter 70% da população vacinada até meados de 2022. “Existem muitas doenças que não têm essa demanda. E os países deveriam poder estabelecer prioridades”, falou.

FUTURO

Em outro momento do painel, Gates citou a Austrália como exemplo a se seguir em uma futura pandemia. O bilionário elencou os motivos pelos quais considera que o país geriu bem a covid-19: política de testagem e quarentenas. Segundo ele, “qualquer ppaís tem a capacidade” de implementar essas medidas. Gates disse que deve-se pensar em uma melhor forma de alocar suprimentos. Ele citou que países ricos tiveram maior acesso a itens essenciais –como as vacinas– quando eles ainda eram escassos. Um segundo ponto para vencer futuras pandemias é “ter tanta capacidade [de produção de vacina] que se possa suprir toda a população mundial com duas doses em pouco tempo”. Gates disse considerar que essa solução é a mais provável de se concretizar.

Antes, Gates afirmou ver um pequeno benefício na pandemia: lembrar às pessoas o quão desigual são os sistemas de saúde mundiais. “Nós vivemos em um mundo desigual”, falou, ressaltando ser importante que os países se reúnam para discutir a questão. A declaração pode ser ouvida a partir do minuto 23. “Nós vemos um pouco de generosidade de quem entende que isso [pandemia] afeta todo o mundo”, declarou Gates.

Assista na íntegra a participação de Bil Gattes no painel da Conferencia de Segurança de Munich.

(Com informações do Portal Poder360)

Publicidade

%d blogueiros gostam disto: