Governo Chinês recomendou população estocar alimentos (Foto: EFE/EPA/JEROME FAVRE)

Com novo surto de Covid-19, China e Holanda retomam restrições

Em meio a um novo surto de Covid-19, o governo da China emitiu alerta para que a população estoque alimentos e outros itens de necessidade básica. Um aviso publicado no site do Ministério do Comércio sugeriu que as famílias armazenem uma certa quantidade de produtos. Após o anúncio, os chineses correram para estocar arroz, óleo e sal.

O país tem adotado a estratégia de tolerância zero com a proximidade das Olimpíadas de Inverno de Pequim, previstas para acontecer em 2022. As medidas sanitárias incluem fechamento de fronteiras, lockdowns pontuais e quarentena.

A China registrou 92 novos casos da Covid-19 na segunda-feira, 1º, o maior patamar desde setembro. Com isso, o governo restringiu algumas viagens domésticas, aumentou o número de testes e indica que as pessoas adiem festas e casamentos.

Por causa de um caso confirmado da doença, a Disney de Xangai foi temporariamente fechada e mais de 38 mil pessoas foram testadas. Ao todo, desde o início da pandemia, cerca de 98 mil casos de infecções pelo coronavírus e pouco mais de 4.600 mortes em decorrência da Covid-19 foram registrados no país.

HOLANDA

A Holanda também volta a impor restrições à população por causa da pandemia da Covid-19. A primeira delas é a obrigação da utilização de máscaras em lugares públicos, como lojas e salões de beleza, o distanciamento social de, pelo menos, 1,5 metro, algo que acaba afetando diretamente bares e restaurantes, que vão acabar tendo que receber menos clientes, e a obrigação de apresentação do passaporte da vacina para entrar em locais como museus, teatros, bares e restaurantes.
O governo holandês aconselha as pessoas a, quando possível, trabalharem, pelo menos, metade da semana de casa, além de evitarem usar o transporte público em horários de pico.

O primeiro ministro da Holanda, Mark Rutte, informou que as restrições são necessárias no número de internações pela Covid-19. O número oficial do governo holandês mostra que, em uma semana, houve um aumento de 39% do número de casos e 31% de pessoas hospitalizadas. As restrições voltam a valer na Holanda dois meses depois de terem caído. O país é um dos primeiros da Europa ocidental a recolocar restrições em prática. As pessoas têm sentido medo pela chegada do inverno e o aumento de casos em quase todos os países.

%d blogueiros gostam disto: