As pessoas estão perdendo a noção do bom senso na hora de se comunicar. Atribuo isso aos aplicativos de mensagens que tornaram a nossa vida mais fácil mas, ao mesmo tempo, complicada demais. Parece estranho falar assim, mas preste atenção nesse diálogo abaixo que minha esposa teve outro dia com uma pessoa que lhe escreveu pelo Messenger, do Facebook.

Observe as datas e horários. Minha esposa não é obrigada a responder imediatamente, mas percebem que a pessoa – que ela nem conhece pessoalmente – sequer disse o que queria? Pior é que a intenção era lhe vender um produto. Bela forma de abordagem, hein?

Acho que a maioria das pessoas ainda não entendeu que aplicativo de mensagens como o Messenger, o Whatsapp ou o Telegram não são CHATS – ou seja, você não fica ali olhando pra tela o tempo todo, conversando em tempo real com a pessoa. E sempre que abro os meus, vejo lá: “Oi Ogg, tudo bem?”… e nada mais. A mensagem chega como se estivesse exigindo uma resposta imediata, como se eu estivesse com o celular nas mãos, olhando pra tela, whats aberto e tinha certeza de que ela iria chegar. Muitas vezes só vou ver horas depois, em função de estar numa reunião, evento ou gravação. E o pior: a pessoa fica chateada com você porque não lhe respondeu na hora. Haja paciência!

A tecnologia está aí para nos ajudar e não para complicar a nossa vida. Mas parece que muita gente faz questão do contrário.

Muitas vezes, tem gente que começa a iniciar um papo informal pelo whats, perguntando como você está, o que está fazendo no momento, se você viu tal notícia… um saco! Eu já corto na hora e digo “Quer papear, porque não me liga?”. Se eu começo a responder é porque estou com tempo. Se não estou, costumo avisar que “Falamos depois”. E já cansei de ficar no sofá a noite, relaxado, quando chega “Tudo bem? Pode falar?”, “Posso!”. E a pessoa começa a digitar sem parar. Mesmo eu tendo dito que posso FALAR, não ESCREVER! Só rindo.

E o mais grave de todo esse comportamento é que alguma resposta pode ser mal interpretada. Devemos lembrar que na mensagem falada existe o tom de voz, o ritmo da fala, a intenção com que se quer passá-la, etc. Já na frase escrita, quem a recebe pode dar a interpretação que seu humor bem entender. Uma vez, na correria, respondi uma mensagem apenas com um “Não posso falar”. A pessoa tinha me perguntado se eu sabia quem poderia me substituir num trabalho que eu não poderia atender. Imediatamente veio o complemento da conversa: “Não pode falar por quê? Não quer perder a vaga? Está com medo de que outro faça no seu lugar?”. Comecei a rir com uma certa irritação pela ignorância da resposta. Tudo bem que era um amigo e levei na brincadeira, mas sacou que ele, simplesmente, não entendeu a minha resposta como um “Não posso falar AGORA”?

E isso é o que acontece de mais comum – má interpretação que leva a constrangimentos, discussões desnecessárias e até rompimentos de relações. Quando percebi que a pessoa não entendeu que eu não poderia falar naquele momento, parei meu compromisso, pedi licença a quem estava comigo e liguei de volta lhe dizendo que ele não tinha entendido a minha resposta. Aí tive que passar o contato de quem me substituiria. Tá vendo a complicação que isso me gerou? Agora imagina entre quem não tem discernimento pras coisas?

Outra coisa que me irrita profundamente é as pessoas puxarem papo nos comentários de uma postagem no Facebook. Você vai lá e coloca uma foto sua na praia. Aí chega alguém e ao invés de comentar a foto, diz: “E aí sumida… por onde anda? Quando é que vai aparece por aqui de volta? Como estão seus filhos? Teu marido tá naquele emprego ainda?” Não é de dar raiva? E tem gente que ainda vai respondendo para que todo mundo fique sabendo da vida alheia. Tá errado! Vai pro privado, no Messenger, e continua a conversa ali, discretamente.

A tecnologia que nasceu para nos aproximar está nos afastando cada vez mais. As pessoas não se falam, apenas “texting” umas para as outras. Está ficando cada vez mais difícil ouvirmos a voz das pessoas e o que mais me incomoda é que isso ocorre, muitas vezes, em momentos importantes, essenciais, em que se deve haver um bom e claro entendimento. Quase ninguém mais liga pra dar Feliz Natal, agora é tudo imagenzinha colorida, cheia de corações e temas natalinos, carregadas de impessoalidade, ou aqueles videozinhos chatos com musiquinha e figura de Papai Noel. Chega gente! Vamos nos aproximar, vamos falar e ouvir mais, nos emocionar com o tom de uma mensagem de voz verdadeira e sincera.

E aprenda uma coisa: quando for enviar qualquer mensagem no Whats, siga essa regrinha:

1º – Cumprimente: “Oi, bom dia, tudo bem?”
2º – Diga o que deseja: “Preciso que vc me envie aquele material. Pode ser?”
3º – Seja objetivo e paciente: “Me retorne assim que puder, por favor. É urgente”.
4º – Seja educado e agradeça: “Obrigado e abraços”.

Talvez assim você evitará contratempos.

Um excelente 2020 pra todos!