Angélica e Luciano Huck: piadas de mau gosto na internet

Deixemos de lado que são dois astros Globais. Deixemos de lado que, por isso, receberam atendimento de primeiro mundo onde mal atendem gente sem um bom plano de saúde. Deixemos de lado que ambos já protagonizaram cenas ou fizeram comentários, repercutidos nas redes sociais, que não seriam “politicamente corretos”. Deixemos de lado que formam uma das famílias mais famosas e invejadas do Brasil. Acima disso tudo, são seres humanos que acabaram de viver um drama. Um susto que não deveria ser alvo de nenhum tipo de brincadeira. Uma situação que poderá ser lembrada com trauma pela família pro resto da vida.

Por isso mesmo me causou demasiado desconforto os comentários e brincadeiras que vi nas redes sociais a respeito do acidente de Luciano Huck, Angélica e filhos. Essa coisa de “Ela deveria ter ido de Taxi”, uma alusão à música que a lançou ao estrelato, é no mínimo escárnio pesado e menosprezo, pra não dizer algo mais grotesco.

Aliás essa é uma característica do brasileiro — usar de humor de baixo nível para tentar colocar graça naquilo em que o sentimento deveria ser de compaixão e solidariedade. É claro que virá alguém dizer que “são burgueses, que tem dinheiro de sobra, que não precisam desse tipo de sentimento”. Mas devemos nos lembrar que assim como eu ou você que lê este artigo, eles também são filhos de Deus, pessoas de carne e osso que tem suas emoções e fraquezas. Independente da sua condição social ou status, não devem virar alvo de piadas de mal gosto pelo que passaram.

Ao ver a entrevista do casal numa emissora concorrente, pude perceber o pavor em seus olhos e na voz, o medo que, provavelmente, ainda vai assombrá-los por muito tempo. E não foi encenação! Afinal eles não estavam num palco. Só mesmo quem viveu algo semelhante, que passou perto da morte, que percebeu em algum momento que a vida poderia cessar naquele instante, sabe do que estou falando. E digo isso, principalmente, porque eles estavam com os filhos. E a presença de crianças, em qualquer situação complicada e de risco, sempre torna o momento mais traumático, mais temeroso.

Felizmente, as consequencias não foram graves. Mas isso não ameniza a situação. Fazer graça com a possibilidade de uma tragédia, mesmo que ela não tenha se consumado, não deveria ser coisa de gente civilizada. Angélica sim pode, se tiver condições emocionais, brincar com a situação, como fez no final da entrevista, mas esse é um direito apenas dela e de Luciano que sentiram o medo à flor da pele e vão ter de lidar com as consequências do trauma. Mas tenho certeza que a brincadeira não vai amenizar essa dor.

Você aí que fez ou compartilhou piadas sobre o acidente, pense na possibilidade real do avião ter caído mais brutalmente e da família, babás, piloto e co-piloto terem morrido na queda. Imagine uma família inteira cessar sua missão na terra tão abruptamente e tente fazer piada com isso. Será que a morte deles seria suficiente para não despertar nas pessoas essa ironia tão amarga e desnecessária? Acho que mesmo assim alguém ainda iria dizer: “Ah, deveriam ter ido de taxi!”. Tentar colocar humor para tentar “descontrair” e não dar um ar tão pesado a certas situações é como encher o jiló de açúcar pra deixá-lo menos amargo. O resultado é pior do que deixar como está.