Chato, eu?

Estamos cercados de chatos. Não aquele bichinho, tipo carrapato, que costuma freqüentar as regiões púbicas de pessoas que não se preocupam com a higiene. Falo sim de pessoas e situações que insistem em nos tirar o humor, mesmo quando acordamos de bem com a vida. E elas – as pessoas e situações chatas – estão presentes quase que diariamente em nossas vidas. Resolvi falar de chatices por ter sido roubado no aeroporto. E tem coisa mais chata do você perder algumas coisas extremamente importantes e que não vai conseguir recuperar mais como fotos, documentos, livros que estavam sendo escritos, etc? Tem! Tem coisa muito mais chata que isso.

Tem coisa mais chata do que fila? Você está numa pressa danada pra pagar aquela conta que venceu ontem e só pode ser paga no banco. Chega as 9:30h, meia hora antes do banco abrir, achando que não terá quase ninguém e, de repente, vê lá 150 pessoas na sua frente. Principalmente aqueles office-boys atulhados com os boletos da firma pra pagar, depósitos a fazer e dinheiro pra trocar. Aí você entra e só tem um caixa! Isso mesmo! Aquela agência enorme e o filho da segunda caixa que deveria estar ali teve febre durante a noite e ela não veio. O que eu tenho a ver com a febre do moleque?

Bom, três horas e meia depois, você consegue deixar a agência. Já com os nervos explodindo à flor-da-pele, encontra aquele camarada tido com o “rei dos chatos”. Sabe aquele que você pergunta “E aí, como vai?” e ele conta tudinho? E com detalhes minuciosos! Você demonstra pressa, ameaça continuar caminhando, finge atender o celular que teria tocado, ele te segura pelo braço e diz “E você ainda não sabe da maior!”. Putz, você não queria saber nem da menor, imagina o resto!

Mas tem outros. O que dizer de uma pessoa que não te vê há mais de um ano e quando te encontra, a primeira coisa que diz é: “Nossa, como você engordou, hein? Ta ganhando bem, né?”. Me pergunto porque o fato de estar ganhando bem nos torna mais gordos? Será que só os mais abastados podem comer mais? O pior é que, geralmente, isso acontece depois de você ter emagrecido 15 quilos por causa de uma dieta, mas o camarada que não te vê faz tempo não percebeu!

Chata é aquela pessoa que te pede dinheiro emprestado sem ao menos te conhecer direito, que fica mandando email com lições de auto-ajuda ou aqueles arquivos power-point com musiquinha, que fica dando conselhos sem você pedir, que repassa emails falando que o Facebook vai mudar de cor, que o MSN vai ser cobrado, pra não abastecer nos postos da Petrobrás. Chatos são aqueles que te pedem pra pagar a conta depois de te convidar prum chopinho alegando que esqueceu a carteira e ainda diz “me arruma um trocado pro taxi também?”.

O que dizer também da propaganda eleitoral que já já vamos começar a ver na TV, das mocinhas que choram e vomitam o tempo todo nas novelas e dos realities-shows que mostram peruas deslumbradas com dinheiro e fama? Como escapar dos vizinhos que fazem barulho de noite, do computador que trava toda hora, do passarinho que faz cocô no seu carro parado embaixo da árvore e do cachorro da casa da frente que acha que é um lobo e uiva a madrugada inteira? Difícil!

E o pior: contra as chatices da vida não há remédio. Vez ou outra vão te incomodar mesmo. O consolo é que também podemos ser chatos para combater a “chatura” alheia. Como um amigo que ao receber a ligação de uma operadora de telemarketing querendo lhe vender um plano de saúde, começou a bombardeá-la com um questionário perguntando sobre a vida dela, até sexual! Afinal ele queria saber quem estava querendo lhe vender o plano…rs.

Chatas são as CPI´s que não começam nunca e não terminam nunca, as multas que você toma por um descuido qualquer e não por imprudência, a perda de documentos que você vai ter de tirar de novo, a ralada com o carro na pilastra da garagem e o motoqueiro que buzina no corredor de trânsito. Chatos são aqueles que acham que sabem mais que você, ou outros que dizem que não se arrependem de nada e fairam tudo na vida novamente. Chato é quem te pede para adicioná-lo numa rede social sem ao menos te conhecer, só porque é amigo da vizinha da prima da tua ex-mulher que você não vê há 15 anos. Sem falar em quem fica te mandando convite para grupos e aplicativos do Facebook que você odeia. Ah, já ia esquecendo do cara que insiste em puxar papo no avião quando você quer terminar aquele livro interessantíssimo ou puxar um ronco!

Se chatisse pagasse imposto, a arrecadação do país iria triplicar. E confesso que até eu, em alguns momentos, iria contribuir. Como, por exemplo, com esse artigo chato que escrevi porque não tinha nada de importante pra falar! Como é chato ficar sem criatividade! Mas o que seria da vida sem as chatisses pra nos perturbar? Chata demais, não acham?