Estou cansado! Cansado de ser tomado como trouxa por empresas que não tem o mínimo respeito pelo cidadão, pelo consumidor, pelo contribuinte. A gente reclama, vai ao Procon, denuncia nas redes sociais, leva pra televisão e nada se resolve. E não falo isso apenas por mim mesmo. Falo pelos milhões de brasileiros que enfrentam esse descaso. Gente que paga por serviços cujas prestadoras não dão a mínima pra gente.

Vou citar meus exemplos apenas para ilustrar. Comprei um bom smartphone pouco mais de um ano atrás. Moderno, cheio de recursos que facilitariam minha vida. Além do que ele oferecia, escolhi também pela marca, uma japonesa de tradição e qualidade de seus produtos fotográficos e aparelhos de som (não disse o nome!). Coincidentemente, dois dias após o fim da garantia ele trava, dá pau, para de funcionar. Um amigo vem e me diz que as empresas instalam um chip que provoca esses danos, automaticamente, após a garantia. Achei demais, uma teoria da conspiração. Prefiro acreditar em má sorte mesmo. Mandei pra assistência técnica e quiseram me cobrar 890 reais – quase o preço do aparelho. Joguei no lixo!

Comprei outro bem mais caro, de uma marca ainda mais tradicional em celulares e rádios. Pensei, “chega de problemas! Agora estou “montado” num belo celular”. Ledo engano! Pouco mais de um mês de uso e… foi pro pau também. Ainda na garantia mando pra assistência técnica e 18 dias depois recebo a notícia: não consertaram alegando que “um problema que não é coberto pela garantia foi causado pela exposição do aparelho a líquidos, chuva, vapor de água, saunas ou quaisquer outros lugares onde há umidade excessiva do ar”. Meu Deus, quase enlouqueci! Sabem qual foi um dos motivos pelo qual comprei o aparelho? Porque a propaganda afirma que ele é “RESISTENTE A ÁGUA”. E isso está no próprio site da Motor… (opa, desculpe!) da empresa. Inclusive, pesquisei no Youtube e encontrei vários vídeos onde são feitos testes sobre isso – os usuários chegam a colocar o celular debaixo de uma torneira aberta e nada acontece. SENSACIONAL! Mas me pergunto porque justamente o meu perdeu a garantia porque foi detectada umidade nele? Que umidade seria maior do que colocá-lo embaixo de uma torneira? E olha que o meu nunca sequer chegou a ficar sobre a pia. Ou seja, há um defeito de fabricação que a empresa não quer assumir. Ou propaganda enganosa. Me senti um idiota novamente!

Deixando os celulares de lado, tive problemas com minha tv por assinatura. Fiquei 3 dias sem sinal e sem internet. Várias reclamações e incomodações depois – mesmo porque o serviço de atendimento é lamentável e um desrespeito ao consumidor – eles informaram que tinham descoberto o problema (Ohhhhhh!!!) e iriam resolver. Nossa! Muito obrigado por essa consideração. Nem precisava!! Abateram na minha fatura? Me ligaram pedindo desculpas? Nada disso! A TV… (ops, desculpa de novo) a empresa liberou uns canaiszinhos bloqueados que nem assisto por assombrosos 3 dias! Agradeci de joelho, claro.

Dos celulares às tvs por assinatura e, agora, aquecedores a gás. Mais um aparelho que entrou em pane uma semana depois de vencer a garantia de DOIS ANOS (to começando  acreditar na teoria do meu amigo). O técnico já avisou por telefone que só a visita custaria 80 reais, mesmo que não fosse feito nada (Pô, o cara vai vir de limusine pra minha casa?). Mas, é claro, que tinha alguma coisa pra fazer. Uma pecinha aqui, outra ali, gastei mais 40 pilas além da taxa da visita. Poxa, já que era visita poderia ter trazido um presentinho, né?

Mas não pára por aí não. Só que agora o problema foi com a minha mulher. Ela teve o nome incluso no SPC porque clonaram o cartão que ela tinha de um magazine aí (não quero citar o nome, apenas dizer que tem as letras C e A… Oops!) e fizeram várias compras. Mesmo tendo pedido o cancelamento por escrito e protocolado no balcão da loja, as cobranças continuavam chegando. Ainda não se resolveu porque a empresa “vai verificar o andamento da solicitação” que já rola há mais de 3 meses! Deve ser um andamento tipo lesma.

Me desculpem se desabafei com vocês, mas tenho a certeza de que muitos leitores também estão cansados de ser passados para trás sem que nada seja feito. As grandes lojas, magazines, prestadoras de serviço, fabricantes de aparelhos, enfim, estão defecando e caminhando com os problemas que nos causam. Nenhuma delas se importa em resolver alguma coisa. E se nos perdem, não faz a mínima diferença. Vão conquistar outros clientes que deixaram as empresas concorrentes pelos mesmos problemas.

E o pior de tudo: não vejo estas empresas serem multadas, terem os serviços suspensos, serem fechadas. Desrespeitam a legislação que defende nossos direitos de consumidor e tudo continua na mesma. Os SAC (Serviço de atendimento ao cliente) são, na verdade, um “Serviço de Agressão ao Cliente”. E não adianta mudar. Os problemas continuam, independente da empresa. É um ciclo vicioso difícil de extinguir. Penso no dia em que teremos 30 operadoras de celular e não quatro. Sonho em ter a liberdade de escolher entre 40 TV’s por assinatura e não cinco. Quem sabe assim, com liberdade de escolha e sem cartéis, seremos mais felizes. Pelo menos, seremos melhor tratados. E sonho também com uma legislação mais eficiente e punitiva que realmente acabe com esse desrespeito e faça estas empresas cumprirem o papel para o qual realmente foram criadas – prestar serviços eficientes e de qualidade. Será que estou sonhando alto demais?