SAC - Sacanagem Autorizada com o Cliente

Sempre fui uma pessoa antenada com os avanços da modernidade. Tive celular logo que lançaram, assim como com a vt a cabo, naveguei na internet mesmo antes dela entrar no Brasil, batia papo em BBS (alguém se lembra disso?) e usei muito ICQ. Também, muito antes disso, assinava várias revistas e tinha serviço da Embratel para ligações telefônicas interurbanas (olha só!!). Hoje tenho assinatura de tudo quanto é coisa: serviço de celular, TV a Cabo digital, internet banda larga, serviço de modem 3G, internet banking e tudo mais que tornaram nossa vida mais fácil e ágil.

Antes disso tudo, me lembro que lá pelos anos 80, a gente ficava em casa esperando alguém ligar pra marcar uma balada. Encontrar alguém na noite então, sem celular, era uma missão quase impossível. A TV pegava 4 canais, no máximo e uns dois deles bens ruins de imagem. Tudo o que a gente queria digitar era na máquina de escrever e se errava, da-lhe amassar o papel e começar de novo. Ou usar o famoso corretivo mais conhecido como “branquinho”. Não tínhamos internet, celular, tv a cabo, computador… e a vida seguia calma e tranquila sem a gente sentir nenhuma falta disso.

E quando a gente queria reclamar da telefonia, ia lá na telefônica conversar com o pessoal. No banco o gerente era nosso amigo. Com a televisão, a gente nem reclamava, só mudava de canal. E só! Não tínhamos nada mais com o que se preocupar. Um pouco antes, nem plano de saúde existia! Mas foram só essas coisas que tornaram nossa vida “mais fácil?” aparecerem para as dores de cabeça surgirem na mesma proporção!

Na medida em que as novidades iam aparecendo, íamos aderindo e se maravilhando com tudo. Mas junto das inovações vieram também os problemas. Para dar conta de atender as reclamações com os serviços (e olha que não eram tantas assim) as empresas criaram departamentos exclusivos chamados hoje de SAC (Serviço de Atendimento ao Cliente) e que, atualmente estão nas mãos de empresas terceirizadas chamadas de call center. Aí nosso inferno começou!

Se você tem problemas com o seu celular, TV por assinatura, internet, telefone fixo ou qualquer ouro serviço disponível em sua residencia ou trabalho, primeiro você vai ter de “conversar” com uma gravação eletrônica para, milhares de tentativas e horas depois, ouvir de uma atendente de carne e osso que lê um roteiro naquele gerundismo indigesto: “Nós vamos estar encaminhando seu problema para nosso departamento técnico para eles estarem agendando uma visita para que estejamos podendo atender sua reclamação!”

Acabou o sossego! Se você precisar de qualquer coisa, que seja uma simples mudança de endereço, vai ter gastrite antes da atendente desligar na sua cara. E pior: na hora de fazer uma assinatura dessas, elas fazem você se sentir o único cliente da empresa, aquele do qual a companhia depende fervorosamente e vai lutar com todas as armas para “defendê-lo e ajudá-lo da melhor forma possível”. Agora, tenta cancelar esse serviço! Tenta mudar de plano! Tenta pedir qualquer alteração que seja no seu pacote! E tenta ficar calmo e não ter um ataque do coração!

E você pode ser o cliente Mega-Blaster-Premium-Gold que não vai adiantar nada. Vai passar a mesma raiva de quem tem um plano “Carvão” por exemplo.

É minha gente, é muito bom ter esses inúmeros serviços à nossa disposição. Mas que outro jeito, né? Ninguém quer virar ermitão e se trancar num total isolamento tecnológico. Só que pra isso, vamos continuar sendo os idiotas que as empresas não respeitam e vamos continuar perdendo horas e horas conversando com as “gerundetes” dos call-center sem conseguir resolver nada. E pra quem ainda não sabe, não adianta mudar dessa para aquela empresa – é tudo farinha do mesmo saco. Acho até que SAC devia ser Sacanagem Autorizada com o Cliente!

O melhor é tentar não ter problemas. Aí você vai ver como sua vida é maravilhosa. Mas… é possível não ter problemas com essas empresas que estão hoje aí?

Senão, jogue tudo pela janela, instale um telefone de disco na sua casa e bote bombril na ponta da antena pra assistir melhor a TV. E se você escreve bastante, como eu, compre um litro de branquinho! Vai ver como a sua saúde vai melhorar!