"To tão emocionada com a festa, governador. Por nada presidenta, na eleição a gente acerta a conta!"

Semana que passou Dilma esteve com Alkmin. Já seria estranho esse encontro por si só, não fosse o motivo: a assinatura de um convênio para a construção de casas populares no estado de São Paulo, dentro do programa Minha Casa, Minha Vida. Agora eu pergunto: PRA QUE FESTA?

Festa que eu digo é o que acontece com todo cerimonial do governo federal, do estadual e das prefeituras quando se inaugura alguma obra ou, simplesmente, quando se assinam alguns convênios. Dessa vez, havia pelo menos umas mil pessoas no Palácio do Governo em São Paulo. Gente que descia de vans, de micro-ônibus, de carros oficiais, gente chegando a pé. Enfim, era um bando de gente de tudo quanto é lugar e tipo: madames emperiquitadas, homens engravatados, gente simples, seguranças, grupos de protesto. Caraca! O que esse monte de gente vai fazer numa cerimônia dessas? Ver a Dilma? Ver o Alkmin? Ver os dois juntos cochichando algo no palco? Ver essa gente assinando um monte de papéis?

E os discursos então? Dai-me Sonrisal pra tanta azia! Primeiro fala o presidente da associação não sei das quantas, depois o deputado, aí vem o senador, o secretário, o ministro, o presidente não sei de onde…. duas horas de falação que dá sono até em soldado do Palácio de Buckinghan. Haja estômago!

Eu queria saber porque o poder público faz tanta festa, gasta tanto dinheiro em cerimônias como essa? “Ah, pra dar visibilidade a um projeto dessa magnitude”, diria algum aspone qualquer. Entendi. Gasta-se fortunas, faz-se festa, comemora-se uma coisa que não é mais do que uma OBRIGAÇÃO do governo, que é fazer as coisas como deveria, cumprir as promessas de campanha, dar saúde, educação, trabalho e moradia pros brasileiros menos privilegiados. Não é mesmo?

Mas não! Tem de fazer festa! Tem de mostrar que aquilo é um FEITO excepcional do Governo, QUE NÃO SE MEDIU ESFORÇOS, que se venceu todos os obstáculos para que aquele convênio fosse realizado! PURA BALELA! DEMAGOGIA PURA! MARKETING ELEITOREIRO!

Agora, ao invés de chamar essa horda toda de puxa-sacos, porque não fazer a coisa num gabinete pequeno, apenas com responsáveis em assinar o convênio, liberar o dinheiro e começar as obras sem alarde, sem marketagem, sem fogos e rojões? Sabem porque? PORQUE ISSO NÃO DÁ VOTO! Tem que mostrar pro povã0 brasileiro, até mesmo para aqueles que não vão receber uma telha sequer desse dinheiro, que o Governo é altruísta, maravilhoso, humanitário, que pensa nos excluídos, blá, blá, blá. Pra fazer o zezinho lá da Paraíba pensar: “Oba, daqui a pouco é nóis!”

Tenho certeza que, com o dinheiro gasto com essa ostentação e demonstração de egocentrismo, daria pra construir pelo menos mais umas dez casas.

Campanha já pelo fim das solenidades demagogas! Será que a gente consegue em ano de eleição?