A boleia da morte


Cuidado! O perigo está ao seu lado nas estradas.

Essa semana perdemos uma colega de trabalho. Uma pessoa doce e meiga que não deveria ter partido da forma brutal como foi – num acidente de ônibus. Dayanne estava com outras três amigas e colegas de trabalho que também se machucaram. A morte dela é dolorosa para nós, amigos, e é mais uma nas estatísticas violentas que rondam as nossas estradas.

E quero me referir, especificamente, a uma delas: a BR 116, Régis Bitencourt. Foi ali que Dayanne e outros três passageiros perderam a vida. E junto com eles, apenas no período do Natal para cá, foram mais de duzentas vítimas. Pessoas que se foram em acidentes envolvendo ônibus e caminhões, os principais causadores de mortes nas estradas brasileiras, principalmente na Régis. São mais de 1.500 vítimas fatais por ano – média de 5 por dia.

Falo com propriedade disso porque, frequentemente, enfrento rodovias brasileiras a caminho de Florianópolis, onde mora a família da minha mulher, ou pelo interior de São Paulo onde tenho parentes. Nas viagens mais curtas, sempre opto pelo avião, muito mais seguro. Mas quando a temporada é maior, me arrisco a ir de carro. E, confesso: toda viagem é um misto de temor, raiva e estresse.

O motivo: o abuso, o desrespeito, a imprudência e o mal-caratismo dos motoristas de caminhões. Não da maioria, claro. Mas de boa parte deles. Me perdoem aqueles que tem esse tipo de profissional em suas famílias, mas não temo em dizer, baseado em estatísticas, que eles são os maiores responsáveis pelas mortes nas estradas. Veja alguns números de uma pesquisa da Associação Brasileira de Prevenção de Acidentes de Trânsito/Vias Seguras:

– a maioria dos acidentes é provocada por fatores humanos, ou seja, por culpa do próprio motorista: velocidade inadequada, ultrapassagem indevida, fadiga (sono ao volante), não manter distância exigida, embriaguez e utilização de entorpecentes e reativantes. A faixa etária que mais se envolve é a de 18-25 anos, o que mostra a pouca experiência de alguns motoristas.

– outros fatores: chuva, neblina, farol alto, lusco-fosco (ao amanhecer e ao entardecer), animal na pista, excesso de cargas (20% acima da capacidade máxima permitida), veículo mal conservado, defeito mecânico, entre outros.

O pior mesmo é a atitude de quem comanda um caminhão. Cansei, mas cansei mesmo, de ver as atrocidades que eles cometem na pista. Ultrapassam em locais proibidos, se jogam pra cima de carros pequenos para forçar passagem, saem para a pista da esquerda sem a menor cautela ou preocupação com quem vem atrás, obrigando você a frear bruscamente ou tirar para o acostamento. Enfim, é uma sessão de desrespeito ao demais motoristas e à sinalização, que ultrapassa os limites da tolerância humana. E o resultado? Mortes, famílias destruídas e prejuízos materiais. E o pior: ninguém toma qualquer medida para impedir essa voracidade rodoviária.

Pressionados pelas empresas ou pela própria ganância em faturar mais fretes, muitos motoristas estendem a jornada além dos limites do corpo humano, se drogam, viram noites e noites na estrada sem dormir, movidos a “rebites” e a muito álcool. E com isso, dormem ao volante, perdem os reflexos, causam acidentes e tiram vidas.

Até quando? Quantas pessoas mais terão de morrer pela direção irresponsável de alguns motoristas até que se tome alguma providência? Cade a fiscalização da Polícia Rodoviária, muitas vezes calada pela propina? Cade a punição mais severa para estes motoristas que geralmente escapam dos acidentes apenas com pequenos arranhões enquanto os outros morrem? Cade a melhor sinalização das estradas? Cade os impostos que pagamos que deveriam ser usados também para recuperar as rodovias?

O acidente que matou nossa colega, também foi provocado por um caminhoneiro sem alma que tirou o ônibus da estrada, talvez pela ânsia de querer chegar mais cedo em casa ou para faturar mais uma viagem. Ou, até mesmo, por estar drogado, não se sabe. O que se sabe é que, na mesma proporção em que os caminhões transportam o Brasil de norte a sul, de leste a oeste, também carregam na boléia e na carroceria as milhares de mortes que assombram as estatísticas.

Até quando?

9 thoughts on “A boleia da morte

  • 29 \29\+00:00 dezembro \29\+00:00 2011 em 16:48
    Permalink

    Por causa do abandono criminoso das ferrovias, o caminhão tornou-se um mal necessário. Mas as transportadoras pagam ao caminhoneiro um frete de fome, pressionam por horário, o que provoca muitos excessos cometidos (mas não justificáveis). Fiscalização rigorosa resolveria boa parte do problema.

  • 29 \29\+00:00 dezembro \29\+00:00 2011 em 17:39
    Permalink

    Cara, até parece que fui eu que escrevi este artigo. Estou totalmente de acordo. A maioria dos motoristas de caminhões, prá mim, são potenciais assassinos. Eles não se respeitam nem entre eles. Trabalho em uma concessionária de rodovia, trafegando diariamente por ela, e tenho observado cada loucura desses motoristas que é de arrepiar os cabelos.As multas por excesso de velocidade são aplicadas onde raramente acontece acidente(dá para etender?).Alguns caminhões trafegam muito acima dos limites de velocidades (130 km/h).Já liguei para números de telefones “COMO ESTOU DIRIGINDO” e a pessoa que atende não dá a mínima atenção,pelo contrário, são mal educadas.Motoristas de carros de passeio também tem sua parcela de culpa, parece que estão sempre atrasados,principalmente aqueles que tem veículos mais possantes, são uns ignorantes.Tenho visto muito acidente onde o motorista me ultrapassa e logo adiante lá está ele, acidentado.PRECISAMOS DE PESSOAS COMO VOCE PARA TENTAR MUDAR ALGUMA COISA NESTE PAÍS. Abraços.

  • 29 \29\+00:00 dezembro \29\+00:00 2011 em 23:34
    Permalink

    falta de segurança, de prudência ou fatalidade? O fato é que cada vez mais morre gente nas rodovias Brasileiras e fica a pergunta: O que está sendo feito? NADA !!!!

  • 30 \30\+00:00 dezembro \30\+00:00 2011 em 06:43
    Permalink

    Caro jornalista , meu nome é Alexandre Fioravanti , sou um cidadão como qualquer outro . Gostaria de tecer o seguinte comentário sobre sua reportagem :
    1- De quem realmente é a culpa da violência nas estradas ?
    1.1 – Do Cotran , um monte de engravatados que , sentados em confortávies poltronas agem como se Deuses do Olimpo fossem e simplemente redigem normas copiadas de códigos de trânsito de outros países por pura luxúria ! A maioria nunca pisou numa estrada para ver de perto como é e assim consolidam a legislação da morte : Permitem que uma pessoa tire sua carteira de motorista circulando pelas cidades onde o ambiente é completamente diferente do ambiente de uma estrada . Então esta pessoa mete a família e amigos no carro e ruma para a morte, quando deveria , na verdade ser novamente habilitada para dirigir em estradas . Se o senhor se interessar eu tenho um estudo que mostra vários erros fatais que os motoristas cometem , resultados da má formação que o cotran promove, como por exemplo : na cartilha do detran-rj ( com letra minúscula ) diz : no caso de fortes ventos abras as janelas e abrigue o carro em local seguro . Esta orientação , se seguida a termo , levará o condutor a grave acidente e é diametralmente contrária ao procedimento correto , pois ao abrir os vidros , a areia , os galhos e outros objetos , trazidos pelo vento prejudicarão a visão do condutor de tal forma que o levará ao acidente . Se ele colocar o carro em local seguro ( entenda-se, embaixo de alguma cobertura ou próximo a uma construção ) ficará a mercê de um possível desabamento . Aposto que o Sr nunca leu isto !, acertei ? . Fazer reportagem assim é muito fácil !
    1.2- O sr sabia que o Cotran impede que a carteira de motorista do camioneiro seja cassada pelos Detrans ? Isto mesmo ele pode ter 1 milhão de pontos na carteira que ela não pode ser cassada .
    1.3- Sabe como se torna motorista de caminhão no brasil ( com letra minúscula ) ? É assim : da-se 1500,00 a um despachante que ele coloca na carteira de motorista a letra D , e o cara arruma emprego no dia seguinte ! Não precisa de curso de formação especializado , não precisa de ter ficha criminal limpa , não precisa ter 0 pontos na carteira etc..

    Ontem foi sua colega , mas não ficarás só , milhares de pessoas morrerão nas estradas e a culpa será sempre da imprudência e da imperícia . Tenha um bom final de ano !
    se é que o sr vai ler este email, pois normalmente os assessores os rasgam e jogam no lixo !

  • 30 \30\+00:00 dezembro \30\+00:00 2011 em 06:54
    Permalink

    muito arrebit por culpa das transportadoras

  • 30 \30\+00:00 dezembro \30\+00:00 2011 em 08:07
    Permalink

    É verdade, grande parcela dos caminhoneiros não respeitam os outros nas estradas. No último domingo foi publicado em um jornal as imagens que mostram um caminhoneiro fazendo uma ultrapassagem proibida. No sentido contrário vinha outro caminhão que se negou a jogar o seu veículo para a direita. Resultado, o motorista do caminhão que fazia a ultrapassagem ilegal jogou convardemente o veículo contra um microônibus que estava sendo ultrapassado, fazendo-o capotar!
    Esse foi um flagrante do que acontece frequentemente nas estradas. É fato, boa parte dos motoristas de caminhões são covardes e não tem piedade e compaixão pelos motoristas de veículos menores, não pensam que suas famílias também os esperam. Não confie neles jamais, procurem sempre estar longe. E ao ver qualquer desrespeito na estrada anotem a placa e comuniquem a Policia Rodiviária imediatamente essa é uma forma que temos de tirar esses caras das estradas e poupar vidas. Bons motoristas, que prezam pela vida, me desculpem, não generalizei, sei que vocês existem neste meio, para vocês presto agradecimentos pelo zelo. Abraços a todos, feliz ano novo!

  • 30 \30\+00:00 dezembro \30\+00:00 2011 em 08:43
    Permalink

    Não concordo em nada com você.
    Culpabilizar uma classe é muito mais facil do que ir a fundo no problema, não acha? E foi exatamente isso que você fez.
    No seu meio Ogg, também existem bons e maus jornalistas, tendenciosos e não tendenciosos, parciais e não parciais, verdadeiros e mentirosos… É assim tambem na profissão de motorista de caminhão, existem os bons e os maus.
    Mas onde quero chegar não é aqui ainda, o que quero que voce entenda, é que não é somente o motorista de caminhão que comete atrocidades no transito, a quantidade de notícias de jovens de classe A atropelando e matando diversas vidas nos centros das capitais do país, por exemplo, é cada vez maior, esse jovens tem tudo, dinheiro, poder, carros possantes, e nem por isso respeitam qualquer tipo de limites ou leis, e isso tudo nos leva a entender que a culpa por acidentes não esta no motorista, mas está sim em nosso sistema de transito atual
    Acredito Ogg que para mudar essa situação, deveriam mudar as leis, mas não a lei punitiva que vemos aqui no Brasil, onde o cidadão comete alguma infração e é obrigado a pagar com o suado dinheiro que ganha, e isso acaba virando uma industria de multas que vemos por ai todos os dias no noticiario, precisamos de leis que educam, por exemplo, o teste para tirar uma CNH chega a ser ridículo, não coloca o aluno que está em exame realmente em situações reais de transito, simplesmente jogam um carro na mão dele, num percurso pré definido, e em 2 meses ele ja está apto a sair pelas ruas dirigindo. esses problemas sim Ogg, deveriam ser o foco do seu post, e não sair atacando uma classe de trabalhadores, como você fez. Me espanta e muito um jornalista que está sentado na bancada da segunda ou terceira emissora do País com uma opinião dessas.
    Peço que reveja sua postura diante de uma classe de trabalhadores muito sofrida, que passam dias e dias fora de casa, que levam milhões em suas carrocerias para encher os bolsos de quem ja tem o poder monetário e controla praticamente tudo nesse país.
    Um abraço de um Gerente Administrativo que não tem nenhum caminhoneiro na familia.

  • 30 \30\+00:00 dezembro \30\+00:00 2011 em 09:36
    Permalink

    Ibrahim, condordo contigo, tb viago para o sul constantemente e em diversas vezes tive que tirar o carro para o acostamento porque um caminhão estava ultrapassando, ainda bem que haviam acostamentos.
    Mas o que quero te dizer é que o maior problema é “que não se faz nada para corrigir ou punir”, se tu queres saber tais cominhoneiros são conhecidos da PRF que não toma providencias nenhuma.
    Se tu viaja para o sul sabes que os postos da PRF estão em abandono, como tb o interesse em atender o usuario, chegam a ter postos vazios sem ninguem. Não entendo porque não aplicam o dinheiro que pagamos em impostos nas estradas. A final o interesse em transporte rodoviario é deles. Porque o transporte ferroviario é mais barato e mais seguro. Claro ai não ha interesse.
    Perdoe o desabafo mas esse Brasil esta cada vez pior, e veja que é o melhor Pais do mundo.
    Um baita abraço
    Carlos

Fechado para comentários.

%d blogueiros gostam disto: