Bem vindo seja 2012!

Mais um ano chega ao fim. E é engraçado como o suposto término de um período promove mudanças em nossas vidas. A cada dia 31 de dezembro, fazemos promessas disso e daquilo, decidimos o que será e o que não será mais feito e escolhemos o que queremos e não queremos mais a partir dali. E muito do que planejamos, fica apenas nas promessas.

Na verdade somos tomados por um suposto poder, um suposto controle de nossas vidas que realmente não temos. A vida é imprevisível e por mais projetos que traçamos, nunca sabemos ao certo se eles serão concretizados. Como muito se diz, a única coisa certa nessa vida é a morte. Mas, claro, a intenção de tentar sempre é nobre.

Não vejo a virada do ano como o fim ou o começo de algo. É claro que fomos educados em nossa cultura a comemorar uma nova etapa, mas devemos manter a consciência de que o dia seguinte, o dia primeiro de janeiro, não será diferente do dia 25 de outubro, ou do dia 16 de março, ou de 23 de abril, a não ser pelo fato de ser um feriado como outros tantos feriados. Pior neste ano porque cai num domingo.

Então por que deveria ser o começo de uma nova etapa da vida? Por que não fazer esse começo hoje ou dia 08 de agosto? Por que não tratar como “ano novo” o momento em que nos curamos de uma doença, nos recuperamos de um acidente, conseguimos um emprego melhor, nos casamos, perdoamos alguém ou temos um filho? A minha virada de ano, por exemplo, começou no último dia 14 de dezembro com o nascimento da Mariah.

Muitas pessoas esperam o primeiro de janeiro para perdoar alguém. Outros, para iniciar um novo projeto, para emagrecer, parar de fumar, voltar a estudar. Milhões esperam mudar hábitos, se tornar pessoas melhores. Outras milhares esperam o momento apenas para agradecer pelo ano que se foi. E me pergunto: por que esperar a virada do ano pra tudo isso? Esses deveriam ser exercícios diários de consciência.

De qualquer forma, o que importa é o que sentimos. A mudança do dia 31 de dezembro para primeiro de janeiro é mítica, mas se isso nos faz acreditar que tudo será diferente, então que seja. Façamos do dia primeiro o marco zero de uma nova era, mas jamais esqueçamos de ser humildes, altruístas, de perdoar, de adotar atitudes de bem, de sermos mais humanos também nos 364 dias seguintes.

Mais um ano iluminado pra todos!